top of page

CUIDADOS TÉCNICOS E ERROS COMUNS EM PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO!

Os projetistas devem às exigências das normas técnicas para elaborar o sistema de impermeabilização a ser utilizado na obra.


Desprezar o projeto de impermeabilização pode resultar em diversos impactos negativos para a edificação, que vão desde problemas de saúde para os ocupantes até graves riscos estruturais

São 3 etapas a serem seguidas para o desenvolvimento do sistema de impermeabilização:

1. Estudo preliminar

2. Projetos básico

3. Projeto executivo

Cada uma das etapas tem diretrizes estabelecidas por norma técnica e essas informações devem ser de conhecimento do responsável pelo projeto.

Para esse trabalho de especificação, também é fundamental profissional especializado e qualificado em impermeabilização.


ESTUDO PRELIMINAR

O estudo preliminar consiste na definição de um conjunto de detalhes que possa caracterizar as soluções de impermeabilização. Ele deve ser elaborado simultaneamente com o projeto arquitetônico.

Assim, as restrições e possibilidades para atender as exigências de desempenho em relação à estanqueidade podem ser devidamente analisadas.

Deve ser elaborado um relatório com a qualificação das áreas que serão atendidas e uma planilha com os tipos de impermeabilização aplicáveis. Este passo não deve ser um simples “copiar e colar”, mas sim analisado e especificado para cada situação.


PROJETO BÁSICO E EXECUTIVO

A ABNT NBR 9575 — Impermeabilização — Seleção e projeto — está em revisão e, na nova versão, o projeto básico passa a ser tratado como pré-executivo. Nesta etapa, constam as informações gráficas e descritivas que definem as características de todos os sistemas de impermeabilização a partir do estudo preliminar, equacionando as possíveis interferências e possíveis soluções. Esta etapa do projeto não traz detalhes suficientes para ser adotado na execução.

Todo este estudo deve ser documentado. Nesta etapa são feitos os levantamentos de quantitativos e estimativas de custo.


Já o projeto executivo é aquele que traz os dados necessários para a correta aplicação dos materiais. Ele apresenta as soluções detalhadas para cada área, com informações sobre as camadas que irão compor o sistema e a identificação de todos os componentes.

Também constam os procedimentos que têm que ser adotados para garantir que a vida útil planejada seja alcançada.

Devem constar no projeto executivo:

• as características construtivas das soluções adotadas no projeto de arquitetura;

• memorial descritivo de materiais;

• memorial descritivo de procedimento de execução;

• a planilha quantitativa de materiais e serviços.

Complementando esse projeto, poderão ser definidas a metodologia para controle e inspeção dos serviços; a metodologia para controle dos ensaios tecnológicos; e diretrizes para elaboração de manual de uso, operação e manutenção.

O projeto executivo é muito importante, pois apenas o projeto básico não trás todas as informações necessárias para a correta execução do sistema de impermeabilização.


ERROS COMUNS

· Não fazer o projeto executivo;

· Não verificar o projeto executivo no momento da execução;

· Não aferir se os produtos, consumos, tempo de secagem, prazo de validade, entre outros, estão em conformidade com o que foi planejado.

· Não fiscalizar adequadamente a execução dos projetos nos seus detalhes construtivos, fazendo os devidos checklists, necessários para a finalização do desempenho, confiando toda esta tarefa para o o empreiteiro executante.

· Contratar profissionais sem a devida qualificação para elaborar o projeto de impermeabilização.

· Contratar profissionais sem a devida qualificação para executar o projeto de impermeabilização.


NORMAS TÉCNICAS

As principais normas técnicas a serem observadas no projeto e execução da impermeabilização são:

· ABNT NBR 9575 — Impermeabilização — Seleção e projeto;

· ABNT NBR 9574 — Execução de impermeabilização;

· ABNT NBR 15575 — Edificações habitacionais — Desempenho.

As duas primeiras estão em revisão.

Após a publicação da nova versão, a ABNT NBR 9575 terá cinco partes e passará a englobar a ABNT NBR 9574, que será cancelada.

Elas serão:

Parte I – Nomenclatura;

Parte II – Projeto de Impermeabilização;

Parte III – Execução da Impermeabilização (que irá substituir e cancelar a ABNT NBR 9574); Parte IV – Fiscalização;

Parte V – Uso e manutenção da impermeabilização”,

O projetista também deve estar atento às normas relativas aos produtos que estão sendo especificados durante seu trabalho. “Empresas ou profissionais não devem realizar uma obra, qualquer que seja ela, sem o mínimo de conhecimento das normas técnicas.

Commenti


Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page